7.ª edição
in

7.ª edição

20 MARÇO 2018

de Andreas Neumann e Joshua Homme

American Valhalla | 82’ | Reino Unido, EUA | 2017 | m/12

“Valhala Americano” conta a história de uma colaboração musical extraordinária entre dois rebeldes do rock americano: Iggy Pop e o líder dos Queens of The Stone Age, Joshua Homme, que, juntamente com Andreas Neumann, correalizou o filme. O resultado foi um dos melhores álbuns de 2016: “Post Pop Depression” de Iggy.
O filme leva-nos numa viagem desde a concepção desta parceria musical e as primeiros demos registadas no deserto californiano, por aquela que se veio a constituir como a banda Post Pop Depression, e que incluiu Dean Fertita (QOTSA) e o baterista Matt Helders (Arctic Monkeys) – até ao lançamento do álbum, precedido por uma série de concertos esgotados, em solo americano e europeu, que incluiu uma apresentação épica no Royal Albert Hall, em Londres.
“Valhala Americano” é a jóia da coroa de um projeto único e irrepetível. Com uma cinematografia deslumbrante, entrevistas perspicazes e acesso total às imagens disponíveis, o filme revela o que significa, afinal, saber que, independentemente de quem somos, quem não arrisca nada, nada ganha.

03 ABRIL 2018

de Rahul Jain

Machines | 68’ | Índia, Alemanha, Finlândia | 2016 | m/12

Atravessando os corredores e as entranhas de uma enorme e desorientadora estrutura, a câmara transporta o espectador numa descida até a um espaço desumanizado de trabalho físico e dificuldades intensas.
Esta gigantesca fábrica de têxteis em Gujarat, na Índia, poderia perfeitamente ser o cenário de um Inferno de Dante do século XXI.
Construindo um retrato impressionante e intimista, o realizador Rahul Jain observa a vida dos trabalhadores, o seu sofrimento e o ambiente de que dificilmente podem escapar.
Com uma forte linguagem visual, imagens memoráveis e entrevistas cuidadosamente selecionadas dos próprios trabalhadores, Jain conta uma história de desigualdade, opressão e o enorme fosso entre ricos, pobres e as perspetivas de ambos.

17 ABRIL 2018

de Jairus McLeary e Gethin Aldous

The Work | 89’ | EUA | 2017 | m/16

Filmado dentro de uma sala da prisão de Folsom, “A Terapia” acompanha três homens do exterior enquanto participam numa terapia de grupo de quatro dias com condenados de nível 4.
Ao longo desses dias, cada homem na sala mergulha à vez nas profundezas do seu passado. O processo cru e revelador por que os encarcerados passam excede as expectativas dos homens livres, arrancando-os das suas zonas de conforto e obrigando-os a verem-se a si mesmos e aos prisioneiros de formas inesperadas.
“A Terapia” oferece um olhar raro e poderoso além das paredes de betão, portas de aço e dos conceitos desumanizadores da nossa cultura para revelar um movimento de mudança e redenção, que transcende aquilo que pensamos da reabilitação.

08 MAIO 2018

de Agnès Varda e JR

Visages Villages | 93’ | França | 2017 | m/12

Agnès Varda, cineasta cuja visão e trabalho únicos lhe granjearam incontáveis fãs no mundo inteiro desde a era da Nouvelle Vague, nos anos 50, e JR, o emblemático fotógrafo e muralista, com mais de um milhão de seguidores no Instagram, embarcam num projeto de arte especial.
Ambos partilham uma vida apaixonada pelas imagens e pela forma como são criadas, exibidas e partilhadas. Agnès escolheu explorar a sua paixão através do cinema, enquanto JR o faz nas suas emocionantes instalações fotográficas ao ar livre. Quando JR, um fã de longa data, encontra Agnès na sua casa da rua Daguerre, ambos percebem de imediato que têm de trabalhar juntos.
“Olhares Lugares” documenta essa viagem calorosa através da França rural numa carrinha especial equipada com uma cabina fotográfica portátil, que usam para fotografar as pessoas que vão encontrando e para criar imagens murais colossais. Durante o périplo, há uma amizade terna que se forja durante o caminho, explorando as suas visões do mundo como só eles sabem fazer.

22 MAIO 2018

de Joakim Demmer

Por todo o mundo, existe uma corrida comercial às terras agrícolas, o novo ouro verde. Um dos lugares mais rentáveis para a agricultura é a Etiópia. Com o intuito de obter receitas das exportações, o Governo etíope cede milhões de hectares de terras alegadamente desocupadas a investidores estrangeiros.
Mas o sonho da prosperidade tem um lado negro: os maiores despejos forçados da história moderna, a destruição do sustento de pequenos agricultores, repressão e uma cruel espiral de violência. A contribuir para este desastre estão a União Europeia, o Banco Mundial e o Governo britânico, que fornecem milhares de milhões de dólares para desenvolver a Etiópia.
“Burros Mortos Não Temem Hienas” investiga estes investimentos estrangeiros e expõe o seu impacto nas vidas das pessoas. Em busca da verdade, ouvimos investidores, burocratas, jornalistas perseguidos, ambientalistas em dificuldades e pequenos agricultores privados das suas terras.

05 JUNHO 2018

de Matthew Heineman

City of Ghosts | 92’ | EUA | 2017 | m/16

Realizado, produzido e filmado por Matthew Heineman, nomeado ao Óscar e vencedor do Emmy, “Cidade de Fantasmas” é uma experiência cinematográfica poderosa que tem tudo para abalar os espectadores, elevando a fasquia de um dos documentaristas mais talentosos da atualidade.
Cativante na sua urgência, o filme acompanha a história de “Raqqa Está a Ser Massacrada em Silêncio”, um punhado de ativistas anónimos que se juntaram depois de a sua cidade natal ter sido tomada pelo Estado Islâmico, em 2014. Com acesso impressionante e profundamente pessoal, esta é a história de um corajoso grupo de cidadãos jornalistas que enfrentam as realidade da vida clandestina, em fuga e no exílio, arriscando as suas vidas para se oporem a um dos maiores males do mundo moderno.

19 JUNHO 2018

de AiWeiwei

Human Flow | 140’ | Alemanha | 2017 | m/12

Mais de 65 milhões de pessoas em todo o mundo foram obrigadas a abandonar as suas casas para fugir à fome, às alterações climáticas e à guerra, no maior êxodo humano desde a Segunda Guerra Mundial.
“Human Flow – Refugiados”, uma viagem cinematográfica épica conduzida por Ai Weiwei, o artista mundialmente aclamado, dá-nos uma expressão visual poderosa desta migração humana em massa. O documentário elucida-nos acerca da escala assustadora da crise dos refugiados e o seu impacto humano profundamente pessoal.
Filmado ao longo de um ano em 23 países, o filme segue uma cadeia de histórias humanas urgentes que se estende por todo o globo, em países como o Afeganistão, o Bangladesh, a França, a Grécia, a Alemanha, o Iraque, Israel, Itália, o Quénia, o México e a Turquia. “Human Flow – Refugiados” é uma testemunha destas pessoas e da sua busca desesperada por segurança, abrigo e justiça, desde o bulício dos campos de refugiados às perigosas travessias marítimas e às fronteiras de arame farpado; dos deslocamentos e das desilusões à coragem, resistência e adaptação; do encanto melancólico das vidas que ficaram para trás ao potencial desconhecido do futuro.
“Human Flow – Refugiados” chega numa altura crucial, em que a tolerância, a compaixão e a confiança são, mais do que nunca, necessárias. Esta obra cinematográfica visceral é um tributo ao inquestionável espírito humano e coloca uma das questões que irão definir este século: conseguirá a nossa sociedade global emergir do medo, do isolamento e do egoísmo para escolher um caminho de abertura, liberdade e respeito pela humanidade?