Dentro da minha Pele
Dentro da minha Pele

19h30 | 27 de abril 

de Toni Venturi e Val Gomes
Dentro da Minha Pele | 85 min. | Brasil | 2020 | m/16

A Utopia Americana de David Byrne

O Brasil foi a última nação ocidental a abolir a escravatura, em 1888.
A segregação social com base na origem e na cor da pele continua até hoje, em parte devido à herança cultural resultante da imigração em massa de europeus, que tiveram acesso a empregos, terras e empréstimos baratos, enquanto a população negra ficou entregue à sua sorte. O cineasta Toni Venturi, brasileiro de raízes italianas, entrevista vários compatriotas seus acerca das suas experiências com o racismo: um médico descreve como foi confundido com um ladrão e uma empregada doméstica conta que foi tratada como escrava pelo patrão. Como se estas histórias não fossem chocantes o suficiente, o relato trágico de uma mulher de São Paulo recorda-nos o fim a que o racismo pode conduzir: o seu filho foi espancado até à morte por polícias, por não ter identificação consigo. Venturi utiliza um encadeamento poético de entrevistas finamente iluminadas, reflexões filosóficas, imagens de arquivo e interlúdios musicais para construir uma imagem multifacetada do racismo quotidiano profundamente enraizado na sociedade brasileira – incluindo a consideração da posição do realizador.

Slide