23 junho 2017

FRÁGIL EQUILÍBRIO

de Guillermo García López

Delicate Balance | 81’ | Espanha | 2016 | m/12

José Alberto Mujica foi presidente do Uruguai de 2010 a 2015, e o seu modesto estilo de vida sempre o individualizou de outros na sua posição: doou a maior parte do seu salário e recusou-se a habitar o palácio presidencial.

Uma extensa entrevista com o velho, mas lúcido ex-presidente, forma a espinha dorsal desta exploração ensaística acerca futuro da humanidade. As ideias de Mujica sobre a sociedade moderna, onde os interesses económicos prevalecem sobre os valores humanos, são usadas para ligar três histórias sobre pessoas que vivem em outros tantos continentes.

Em Marrocos, migrantes africanos, muitos deles jovens bem-educados, olham para enclave espanhol de Melilla a partir do seu miserável acampamento. Esperam chegar à Europa um dia, para construir uma nova vida.

Em Madrid, famílias inteiras são expulsas de suas casas por falharem com os pagamentos das hipotecas, ao mesmo tempo que assistem ao resgate das instituições bancárias.

No outro lado do mundo, em Tóquio, funcionários ganham avultadas quantias de dinheiro, mas à custa de um trabalho tão duro e absorvente que os leva muitas vezes a comportarem-se como verdadeiros autómatos.

 
 

Frágil Equilíbrio é um documentário universal, que aborda questões que a todos atingem e afetam.

Através de três histórias que se estendem por três continentes, urdidas pelo fio condutor da mensagem trazida pelo antigo presidente uruguaio, José “Pepe” Mujica, vemo-nos refletidos na vida de migrantes africanos, trabalhadores espanhóis, executivos japoneses e percebemos que, no final , todos somos iguais. No final, não estamos sozinhos.

Como político e humanista, José Mujica viveu a vida de acordo com sua palavra e espalhou pelos palcos internacionais a sua mensagem e a marca da sua política centrada primeiramente nas pessoas. Ex-guerrilheiro, foi preso pelas suas atividades durante a ditadura militar do Uruguai, ingressou na arena política nos anos 2000 e tornou-se presidente em 2010. Durante a última década e meia, serviu o povo do Uruguai e continua a fazê-lo. Uma conversa entre os cineastas e o presidente Mujica serve de ponto de partida para este documentário.

«O verdadeiro motor tem que ser a defesa da vida. Porque a vida é um milagre, porque a vida não pode ser comprada, porque a vida nos escapa, porque é o bem maior. E assim o demonstra o evidente.»
José Mujica, para Frágil Equilíbrio.

Continentes e classes podem dividir-nos, mas a humanidade une-nos. Três histórias muito diferentes refletem não apenas os desafios apresentados por um mundo global crescente, mas também as oportunidades. E, no final, aquilo que nos torna diferentes é muito menos do que o que nos torna semelhantes. Seja qual for o contexto, a classe ou a cor, todos nos empenhamos para conseguir as mesmas coisas. Amamos. Queremos. Lutamos. Crescemos. Somos semelhantes.